SOCIEDADE PARA SEMPRE – O NÃO SEM PENSAR – Nívio Terra (*) – 3

Imprimir

 

Nesta nova série de estudos societários demonstro como evitar o desmanche de Sociedades de Negócios ou de Serviços, em decorrência de confronto entre sócios por insignificâncias ocorridas entre eles.


E vou cuidar de um tema que poucos dão atenção, mas é de grande importância

para o bom convívio dos participantes da empresa. Trata-se do


“NÃO SEM PENSAR!”


No meu livro - Meu Sócio, Meu Amigo – Como Evitar Atritos Societários - este assunto foi tratado sob o título


“O NÃO TRANSITANDO PELO TALVEZ PARA ALCANÇAR O SIM”,


podendo ser acessado neste Portal do Sócio e da Sociedade pelo link

Meu Sócio, Meu Amigo – Como Evitar Atritos Societários - 16 - O NÃO Transitando pelo TALVEZ para Alcançar o SIM

No início da Sociedade seus participantes costumam debater todo e qualquer assunto que lhes veem à cabeça. A troca de ideias, informações e detalhes, por mais simples que possam parecer, são tratados com profundidade até obterem o consenso. Muito importante isso para o futuro do negócio.

Em certo momento, cada membro da Sociedade começa a cuidar mais detalhada e individualmente da parte que lhe é reservada. Um vai cuidar da administração,

da clientela, outro se envolve mais com o objetivo da Empresa, com a produção, etc.


A Empresa segue o seu rumo normal, especialmente aquela que está obtendo o sucesso. Nesse estágio, então, é quando os associados cuidam de dar mais atenção para o setor em que atuam, pensando, claro, que com a sua boa pessoal diligência, tudo vai bem e o sucesso empresarial não terá fim.


Mas, isso não é a pura e única verdade. No estudo, que também está publicado neste Portal - A Lei dos 4 Emes Para um Bom Planejamento - no item que cuida da quarta lei - Melhoração - demonstro que a Empresa precisa estar sempre atenta ao mercado e que o seu aprimoramento é fator obrigatório para a sequência de vitórias negociais e para cuidar que a concorrência não venha a suplantar sua atividade.


É por tal motivo que os sócios precisam permanecer atentos aos objetivos societários, aos seus produtos, aos seus clientes! Tal atividade é muito sutil e se apresenta a cada qual de uma forma espontânea ou através de verificações, estudos, mais ou menos amplos e com dedicação pessoal. Essas análises sobre o aprimoramento da Empresa nem sempre são feitas por todos os associados. Normal que algum ou alguns se dediquem com mais intensidade a esse trabalho.


Em certo momento, aquele membro que se aprofundou no assunto deseja apresentar aos seus sócios suas análises, eventuais preocupações e até como suplantá-las.


É tudo muito normal! Mas, sempre o mas! Nem sempre obtém a esperada audiência de seus confrades, absortos nos tais afazeres usuais.

Quando lhes é apresentado o começo da conversa, comum as frases:


– “Tudo bem! Vamos debater isso...”

– “Oh, deixa isso pra lá, estamos indo tão bem!”

– “Falaremos mais pra frente, afinal não se mexe em time que está ganhando!”

– “Shi, lá vem você com suas novidades...”

E coisas tais...


É o tal “NÃO SEM PENSAR”!!!


Aquele que trouxe o assunto novo passa a se sentir ofendido com a falta de atenção às suas análises. Talvez nem pretenda mudar algo na Empresa, apenas

aprimorar algo. Mas não deram atenção. Segue-se a frustração!


Pensa ele e se aflige:

– “Afinal, por que ninguém me escuta?...”

– “O que adianta eu estar pensando tanto na empresa?...”

– “Eu é que não vou perder mais tempo cogitando em melhorar o negócio. Que se lixe!...”


Nem sempre o tal estudioso tem razão nessa sua atitude. Pode ser que seja um indivíduo por demais cauteloso e não dado a ir a fundo em suas análises e, a todo momento querer mostrar dúvidas onde, talvez, nunca existam. Seus companheiros de trabalho precisam, certamente, analisar tal circunstância.

Disso tudo advém a minha máxima: atenção de todos com o NÃO SEM PENSAR!


O que proponho é que o tal NÃO, em suas manifestações expressas, simples descaso ou falta de atenção seja substituído pela audiência às palavras do solicitante para averiguação da necessidade de alguma análise.


Com tal atitude certamente continuará a boa harmonia entre os sócios, respeitosos mutuamente e a Sociedade continuará sua trajetória.


Quando advogado militante, para evitar eventuais debates persistentes sobre assuntos paralelos à atividade da Empresa, como solução, cheguei a incluir em contratos sociais cláusula que se explica por si só, com texto básico semelhante a este modelo, que poderá ser convenientemente alterado pelos interessados:


“___ª – Fica estabelecido que, na segunda terça feira do mês de abril de cada ano, às dez horas da manhã, os sócios se reunirão na sede social, independente de convocação especial e sem pauta previamente definida. Nessa oportunidade o sócio poderá apresentar qualquer assunto para debate e votação, conforme previsto neste contrato, cujo resultado valerá para todos os associados, inclusive para os eventuais ausentes.


Parágrafo único. Caso a data prevista recaia em dia de feriado nacional, a reunião ficará automaticamente transferida para a terça feira seguinte.

Parágrafo segundo. Se algum sócio estiver impossibilitado de comparecer à reunião por questão de saúde, atestada por dois médicos, a reunião será transferida para o mesmo dia do mês de maio. “Continuando o impedimento, os sócios decidirão a respeito.”


Pois é, senhores leitores, fiquem atentos às futuras explicações que apresentarei neste Portal visando afinar o trato entre os sócios para o bem da Empresa.


(*) Nívio Terra (81) Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais.

Autor do livro

Meu Sócio, Meu Amigo – Como Evitar Atritos Societários.

Organizador do Portal do Sócio e da Sociedade.

www.portaldosocioedasociedade.com.br

 

Contato

Nívio Terra - Advogado de Negócios e Consultor Pessoal
nivio@PortaldoSocioedaSociedade.com.br
nivio@terracpe.com.br

Credite a fonte

O CONTEÚDO DO PORTAL DESPERTOU INTERESSE, COPIE, MAS CREDITE A FONTE. SUA ÉTICA SERÁ O FISCAL DESTE PEDIDO.
Copyright 2011 SOCIEDADE PARA SEMPRE – O NÃO SEM PENSAR – Nívio Terra (*) – 3 - Joomla