COMO DINAMIZAR SEUS RELACIONAMENTOS PESSOAIS - João Baptista Sundfeld (*)

Imprimir

 

         Atualmente temos uma diversidade enorme de meios para comunicação, de forma que nossas relações interpessoais requerem atenção muito especial para não perderem a eficácia.

         No passado recente, os contatos eram feitos por meio de telefone direto, correio, cartas e telegramas. Depois vieram as mensagens transmitidas por fax e a seguir telefones celulares que se tornaram de uso comum. Agora a Internet dominou os mercados pela rapidez com que as comunicações podem ser feitas em todas as partes do mundo.

         Apesar desse enorme progresso, muitas pessoas demonstram dificuldades para acompanhar tantas novidades, principalmente as mais idosas. Entretanto, os relacionamentos pessoais continuam a aumentar sua importância, para que se mantenha atualizada nossa vida social e profissional. Esse é o novo desafio.

         Existe algum método que poderemos utilizar para manter e dinamizar nossos relacionamentos? A resposta é sim, mas precisamos ficar atentos às novidades passageiras cuja tecnologia avança com tal rapidez que poderá nos desesperar. Não podemos confundir o progresso tecnológico, que é positivo e necessário, com a necessidade básica de evoluirmos em nossos relacionamentos para melhorar a qualidade de vida, caso contrário restará vivermos fora da modernidade - o que não deixa de ser uma opção.

         Para aqueles que preferem manterem-se ativos temos várias possibilidades, ou seja, aprendermos a utilizar os novos meios de comunicação ou encontramos uma forma de utilizá-los sem estresse, aproveitando o que têm de bom.

         Uma possibilidade que julgo excelente é a utilização do Programa de Mudança de Comportamento (PMC), que nos foi apresentado pelo professor Noriyuki Murata em curso presencial assistido em Nagoya no Japão em 1986, o qual gentilmente, nos autorizou a traduzir para o português os textos que nos foram entregues pela AOTS, acrônimo que designa, a “The Organization for Tecnichal Scholarship” (Organização para Estudantes Técnicos).

         O PMC propõe metodologia para aprimorarmos e dinamizarmos rapidamente nossos relacionamentos interpessoais. A seguir trataremos dos cinco princípios aplicáveis.

PRIMEIRO PRINCÍPIO: MANTENHA E AUMENTE A AUTOESTIMA DE SEU INTERLOCUTOR.

Qualquer pessoa que se sinta competente tem muito mais probabilidade de realizar uma tarefa de forma correta, sentindo-se altamente motivado e realizará consistentemente com esse sentimento. Precisamos estimular essa e competência em nossos interlocutores de maneira que a autoestima os leve a executar suas tarefas com tal empenho que os resultados sejam aprimorados.

Valemo-nos do conceito apresentado por Stanley Coopersmith para definir autoestima. “Refere-se à avaliação que o individuo faz e habitualmente mantém de si mesmo; expressa uma atitude de aprovação ou desaprovação, e indica a que ponto o indivíduo acredita-se capaz, importante, bem-sucedido e merecedor. Em resumo a autoestima é um julgamento pessoal do valor próprio, que se expressa nas atitudes que o individuo toma consigo mesmo”.

A falta de conhecimento ou desprezo pelo assunto gera dificuldades no seu relacionamento, eliminando qualquer comunicação adequada e o encontro de soluções que elevem os resultados. A manutenção e o reforço da autoestima é uma atividade sensível que está presente em todos os relacionamentos no lar, na escola, nas empresas, nos clubes, com amigos e em outras oportunidades.

O impacto positivo da aplicação de técnicas e exercícios de autoestima, segundo o Dr. Nathaniel Branden, canadense, formado em psicoterapia pela Universidade da Califórnia, vem ajudando as pessoas a desenvolverem suas atividades mais assertivamente.

Existem várias formas de aumentarmos a autoestima de outra pessoa: um simples sorriso, um aperto de mão, o reconhecimento de um valor superior da pessoa como cooperação ou alcançar um objetivo.

SEGUNDO PRINCÍPIO: ENFOQUE O COMPORTAMENTO E NÃO A PERSONALIDADE DO INTERLOCUTOR.

Quando nos apoiamos em traços da personalidade das pessoas, aumentamos a possibilidade de desgastar a sua autoestima. Nessa situação, a pessoa se colocará na defensiva e poderá utilizar mecanismos de negação, falsidade e distorção da realidade de forma a não se expor e proteger-se.

Uma forma de resolver o problema é focalizarmos o comportamento e o fato ocorrido e não a atitude, personalidade e aptidões inatas da pessoa alvo de nossa atenção.

Normalmente os traços de personalidade, valores, qualidades de caráter, como ser honesto, ser sincero, ser ou não ser orgulhoso, são abstrações de conteúdo positivo, porém não são evidenciadas no que as pessoas estão fazendo no desempenho de suas atividades. Por outro lado, rir, andar rapidamente ou lentamente, falar, fazer ou não uma atividade (comportamento) são exemplos de desempenho e indicam claramente o que a pessoa faz ou vem a fazer. Assim, identificamos o que devemos enfocar: apenas os comportamentos.

TERCEIRO PRINCÍPIO: ESCUTE ATENTAMENTE (ESCUTA ATIVA) PARA SENTIR E SATISFAZER O INTERLOCUTOR.

A Escuta Ativa é uma técnica de comunicação que visa entender o que o nosso interlocutor está sentindo e qual o significado e o que deve ser apreendido da sua mensagem. Após o recebimento da mensagem, devemos colocá-la em nossas próprias palavras e voltar ao interlocutor para verificar se nosso entendimento está correto. Esta “tradução” da mensagem não deve expressar opinião ou pensamento. Esse exercício ajuda, definitivamente, a melhorar o entendimento entre as pessoas.

QUARTO PRINCÍPIO: UTILIZE TÉCNICAS DE REFORÇO PARA MOLDAR O COMPORTAMENTO.

Um importante aspecto dos treinamentos de Relacionamento Interpessoal é a utilização de Técnicas de Reforço, especialmente as de Reforço Positivo. Esses instrumentos são um método poderoso para Mudança de Comportamento, tanto para fortalecer um comportamento desejado, tanto para mostrar iniciativa no trabalho como para diminuir um comportamento indesejado.

Para cada situação deve-se empregar algum tipo de reforço. Há quatro formas de reforços para moldar o comportamento do interlocutor:

1 - REFORÇO POSITIVO

2 - REFORÇO NEGATIVO

3 - PUNIÇÃO

4 - EXTINÇÃO

         Alguns cuidados deverão ser tomados para aplicação de Reforços. Em primeiro lugar não poderão ser entendidos como manipulação do interlocutor, mas um meio de ajudá-lo a ter um melhor relacionamento.

Devem ser aplicados no início da exposição do comportamento desejado ou indesejado e serão gradativamente aumentados ou reduzidos, em função da repetição do comportamento.

QUINTO PRINCÍPIO: ESTABELEÇA E MANTENHA A COMUNICAÇÃO

         As soluções mais eficientes são determinadas quando forem estabelecidos canais de comunicação abertos entre as pessoas.

Nas situações de trabalho, os supervisores podem utilizar sua posição de liderança para criar comunicações mais eficientes, convidando os subordinados a falarem mais livremente, encorajando-os a oferecer opiniões, sugestões e idéias para solução de problemas, o que constrói a autoestima, a autoconfiança, a competência e o envolvimento pessoal.

 

A TÉCNICA ACIMA EXPOSTA PROPICIA MELHORES RELACIONAMENTOS E FAZ PARTE DA MELHORIA NA QUALIDADE DE VIDA DAS PESSOAS.

 

(*) João Baptista Sundfeld, economista, mestre em educação, sócio da Sundfeld & Associados  www.sundfeld.com.br

Contato

Nívio Terra - Advogado de Negócios e Consultor Pessoal
nivio@PortaldoSocioedaSociedade.com.br
nivio@terracpe.com.br

Credite a fonte

O CONTEÚDO DO PORTAL DESPERTOU INTERESSE, COPIE, MAS CREDITE A FONTE. SUA ÉTICA SERÁ O FISCAL DESTE PEDIDO.
Copyright 2011 COMO DINAMIZAR SEUS RELACIONAMENTOS PESSOAIS - João Baptista Sundfeld (*) - Joomla