LIVRO.CERIMONIAL E PROTOCOLO NA PRÁTICA – Por J.B.Oliveira (*)

Imprimir
Categoria: Dicas e Fatos

Eis mais um livro interessante que o Portal do Sócio e da Sociedade apresenta a seus leitores. Melhor dizendo, um livro instrutivo! Encontramos a sua grande utilidade através das explicações do seu próprio Autor:

"Suponhamos que eu tenha resolvido dar um jantar em minha casa, convidando parentes e amigos próximos. Recebo-os, à vontade, apresento entre si os que não se conhecem, disponho-os à mesa como me parecer melhor, e tudo bem.

Não terei nenhum problema mais sério que, eventualmen­te, o encontro de um ex com uma ex. Se resolvi ampliar o evento, virão algumas figuras do meio social.

Otimo. Prestígio para mim... Mas não tão ótimo assim, porque — se não atentar para uma série de cuidados e detalhes — o "tiro poderá sair pela culatra" e, em vez de prestígio, posso "queimar meu filme”.

Muito bem. Até aqui navegamos nas águas mais próximas, menos profundas, costeiras, da maravilhosa ETIQUETA”.

..............................

“Agora o cenário muda.

Fui eleito presidente de uma importante entidade de classe e a solenidade de posse contará com a presença de notáveis personalidades e de autoridades ‘civis, militares e eclesiásticas’!

Pronto! Acabamos de adentrar o imenso mar do CERIMONIAL E PROTOCOLO, de águas profundas, profusas e, por vezes, confusas. Quanto mais me afastar da borda ‘social’, e rumar para o oceano ‘cerimonial’, tanto menos poder de decisão terei.

O protocolo vai se tomando gradativamente mais rígido, severo, solene e impessoal e, consequentemente, difícil de quebrar. Então, por mais estima e consideração que eu tenha por determinada pessoa, não poderei colocá-la à minha direita na mesa, saudá-la em primeiro lugar, atribuir-lhe honras especiais ou dar-lhe o privilégio da palavra.

‘Noblesse oblige’, sentenciam os franceses — grandes autoridades na matéria — e eu tenho que curvar-me à ‘ditadura’ das normas protocolares, sob pena de cometer gafes imperdoáveis ou, até, incidentes diplomáticos!"A proposta deste livro e de seu autor — professor e profissional da área — é apresentar, didaticamente, um ‘tira-dúvidas’ prático de tudo o que se refere a cerimonial e protocolo”. (contra-capa)

O Autor no início de seu trabalho salienta que “ apesar de sua imensa diversidade, porém, só há DOIS TIPOS DE REUNIÃO:

• as BOAS: bem organizadas e bem conduzidas; e

• as RUINS: desorganizadas, desastrosas, ‘chatas’!

Onde está a diferença?

Na existência ou não de algo que JAMAIS poderia faltar em qualquer tipo de reunião: ‘O CERIMONIAL! O PROTOCOLO!

Daí para a frente J. B. Oliveira examina tudo o que ocorre nas reuniões, conceituando e ensinando como agir em torno da etiqueta, do cerimonial, protocolo, mestre de cerimônias e diretor de protocolo, com suas diferenciações. Explica como montar a mesa, o cuidado com os nomes das autoridades e a solicitação de confirmação pelos convidados, o célebre “R.S.V. P”, iniciais da frase francesa “Répondez S’il Vous Plaît” (Responda, por favor). Mostra as ocorrências no momento em que alguém faça a sua palestra, e como resolver certos poblemas que surgem repentinamente.

Lembra o trato que deve ser dado aos equipamentos de som, microfones, mesa, tribuna e panóplia, onde ficam as bandeiras. Aproveita para estudar o uso, disposição hasteamento e arriamento da Bandeira Nacional, com a Lei que rege o seu trato, sob nº 5700, de 1º de setembro de 1971, podendo ser examinada pelo link

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5700.htm

O Autor examina o caráter do evento: social ou cívico: aberto ou fechado, como pré-qualificação e até formula a sua definição:

“... evento cívico é aquele que se realiza em comemoração a datas patrióticas ou cívicas, ou a elas ligados... com sua característica principal que é abertura obrigatória com o Hino Nacional...”:

“Conservar a mão direita sobre o coração, como se fazia antigamente, não é hábito atual, nem está prescrito. Outro hábito não prescrito, e que é bem nosso, é o aplauso sequente à sua execução. Se, por um lado, não é prescrição, por outro, não é pecado: é a manifestação espontânea e calorosa da vibração nacional”.

Muitos mais detalhes poderão ser recolhidos no livro para que uma reunião, pública ou particular, se torne prazenteira. Quando pública deverão ser obedecidas as Normas do Cerimonial Público e Ordem Geral de Precedência estabelecidas no Decreto Federal nº 70.274, de 9 de março de 1972, que o Portal coloca à disposição pelo link

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D70274.htm

(*) Cerimonial e Protocolo na Prática – de J.B. Oliveira – Rettec Artes Gráficas - São Paulo, 1999 – 1ª edição – Atual Rettec, artes gráficas e editora. Rua Xavier Curado, 388, Ipiranga, São Paulo, SP. (11) 2063-7000.

ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Contato

Nívio Terra - Advogado de Negócios e Consultor Pessoal
nivio@PortaldoSocioedaSociedade.com.br
nivio@terracpe.com.br

Credite a fonte

O CONTEÚDO DO PORTAL DESPERTOU INTERESSE, COPIE, MAS CREDITE A FONTE. SUA ÉTICA SERÁ O FISCAL DESTE PEDIDO.
Copyright 2011 LIVRO.CERIMONIAL E PROTOCOLO NA PRÁTICA – Por J.B.Oliveira (*) - Joomla