L O N G E V I D A D E e S A Ú D E – Por LUIZ FREITAG – Dr. (*)

Imprimir
Categoria: Dicas e Fatos

Até a poucos anos considerava-se a velhice como “um poço de doenças”. QUANTO MAIS IDOSA MAIS DOENÇAS A PESSOA TERIA.

EM NOSSO SÉCULO XXI JÁ PODEMOS AFIRMAR QUE ESSA QUESTÃO AGORA PODERÁ SE TORNAR UM MITO. A medicina, em todo o mundo, evoluiu muito na preservação da saúde, tanto física como mental. Hoje se consegue, com êxito, PREVENIR MOLÉSTIAS, ANTES CONSIDERADAS INEVITÁVEIS COM O PASSAR DOS ANOS.

Hipertensão arterial, diabetes mellitus, principalmente o tipo 2, doenças ósseas e depressão, entre tantas outras, já não são mais vistas como doenças que só pioram com a idade avançada. Essas patologias também se desenvolvem em indivíduos mais jovens e necessitam de tratamento contínuo. A EFICÁCIA É MAIOR QUANTO MAIS CEDO SE INICIAR A DESCOBERTA DA DOENÇA E TRATAMENTO.

Não se pode mais aceitar condições que possam piorar a qualidade de vida dos idosos quando apresentam estas enfermidades. No entanto, recentemente foram publicados vários estudos na Revista Médica Lancet, da maior credibilidade, mostrando que idosos podem estar vivendo mais, porém apresentam piora da qualidade de vida.

Em 180 países, incluindo o Brasil, foram analisados vários itens como aparecimento de doenças em geral, internações hospitalares e mortalidade em idosos entre 1990 e 2010. A hipertensão arterial foi a patologia com maior risco para a saúde por motivo de inúmeras complicações associadas à falta de prevenção. Nesses anos estudados, foi verificado que se deu maior relevância ao tratamento da AIDS, malária e tuberculose ignorando-se parcialmente a prevalência das doenças já citadas, que podem levar à incapacidade ou até à morte.

OUTRAS DOENÇAS CONSIDERADAS DE ALTO RISCO PARA A SAÚDE NESSA PESQUISA DE 2010: ALCOOLISMO, TABAGISMO, POUCA INGESTÃO DE FRUTAS, OBESIDADE, DIABETES, BAIXO PESO EM CRIANÇAS, POLUIÇÃO AMBIENTAL E SEDENTARISMO, COMO JÁ MOSTRAMOS EM OUTROS TEXTOS.

Um dos temas mais estudados atualmente diz respeito à obesidade, sendo só ela responsável por 3 milhões de mortes em todo o mundo em 2010, mais do que a desnutrição.

O que se observa no Brasil, principalmente em certas cidades interioranas do Rio Grande do Sul é a EXISTÊNCIA DE GRANDE NÚMERO DE IDOSOS ATÉ COM MAIS DE 90 ANOS GOZANDO DE BOA SAÚDE, o que tem sido objeto de estudos na Pontifícia Universidade Católica. Mesmo assim, as MULHERES NESSA FAIXA ETÁRIA SOBREVIVEM MAIS ANOS DO QUE OS HOMENS. Ocorre que as mulheres, em geral, em todos os estudos realizados mostram que elas têm maior cuidado com alimentação, exercícios físicos e vida social. O encontro diário com amigas e parentes da mesma faixa etária, mas também com a juventude, mantém a sua melhor qualidade de vida.

A Organização das Nações Unidas (ONU) está preparando para este ano de 2013, ainda no primeiro semestre, um grande conclave mundial, para estudo do impacto das doenças crônicas, visando combater diabetes, câncer e doenças cardíacas, principalmente.

Espera-se que as resoluções deste conclave

imponham diretrizes para serem seguidas

imediatamente em todo o mundo. E assim

poderemos aumentar a longevidade mundial

com melhor qualidade de vida.



(*) LUIZ FREITAG - Dr. - Médico geriatra, autor do livro “Como transformar a terceira idade na melhor idade” Ed. Alaúde. SP - Membro titular da Academia de Medicina de São Paulo-
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. -------

Contato

Nívio Terra - Advogado de Negócios e Consultor Pessoal
nivio@PortaldoSocioedaSociedade.com.br
nivio@terracpe.com.br

Credite a fonte

O CONTEÚDO DO PORTAL DESPERTOU INTERESSE, COPIE, MAS CREDITE A FONTE. SUA ÉTICA SERÁ O FISCAL DESTE PEDIDO.
Copyright 2011 L O N G E V I D A D E e S A Ú D E – Por LUIZ FREITAG – Dr. (*) - Joomla